Safadinha no Boteco

Um conto erótico de Jabuca
Categoria: Heterossexual
Data: 15/05/2019 09:35:13
Nota 8.60

Oi!!! Sou a Judith, do Diário de uma Safadinha. Sou já uma adolescente bem constituída, continuo uma gordinha compacta. Estou com 1,67, 60 Kgs, calço 33. Meus seios pouco cresceram e se parecem com um grande pêssego, minha bunda é arrebitadinha e em minha vulva já há uma flora constituída de pelos loiros e castanho-claros. Ainda moro com meu pai e meu irmão, na mesma casa e na mesma rua de terra batida e de rede de esgoto a desejar. Pai e irmão trabalham durante toda a semana e folgam no domingo. Larguei de estudar e fico em casa com os deveres de uma doméstica. No entanto, eis uma esperança de emprego que surge.

Um vizinho, seu Carlos, vai abrir um bar em sua garagem; três casas distante da minha. Fui lá a procura de trabalho. Encontrei-o na maior trabalheira para a montagem do Bar.

" Bom-dia seu Carlos...!" = "Bom-dia...!" respondeu-me ele.

"Seu Carlos, o senhor vai montar um bar aqui, será que há possibilidade d'eu trabalhar para o senhor? Fico em casa o dia todo e estamos precisando e não posso continuar dependendo de meu pai e de meu irmão..."

Seu Carlos olhou prá mim... coçou a cabeça... pensou e disse: = "Volte amanhã aqui... tá bom?"

No dia seguinte eu estava lá! Seu Carlos estava nos fundos, fui até lá: "Bom-dia seu Carlos...!"

"Bom-dia, menina...!" Olhou prá mim e disse: " Pode vir depois-de-amanhã, sexta-feira. Você fica com uma chave e vai abrir o bar às 7 horas... vou fazer as compras; chego as 9 horas, e você vai embora e volta às 14 horas e sai às 20 horas... tá bom?" = "Está ótimo seu Carlos...!" Respondi, sai e Sexta-feira, tava lá eu; às 7 em ponto.

Começamos a trabalhar! No boteco do seu Carlos tinha tudo o que um comércio desse poderia ter. Tinha três mesas na parte de dentro; três mesas na calçada. Tinha uma mesa de bilhar nos fundos, separada da parte da frente por uma parede, onde ficava também os banheiros feminino e masculino.

Durante os primeiros vinte dias o trabalho foi gostoso; a freguesia era de conhecidos da rua, do bairro; constituída de trabalhadores, domésticas e adolescentes que circulavam pela área. Após os vinte primeiros dias a coisa de gostosa virou maravilhosa.

Eis como começou! Uma moça pediu um maço de cigarros pro seu Carlos que estava, como sempre, no Caixa. ele procurou a marca no mostruário e não encontrou.

"Judith, vê se tem a marca aqui embaixo...!" E me indicou a portinha do balcão onde ficam estocados os maços, abaixo da Caixa Registradora. Abaixei-me e como o espaço para se locomover atrás do balcão é escasso, encostei as nádegas na braguilha de seu Carlos e peguei um pacote de cigarros. Antes de levantar-me, de me aprumar, dei uma pressãozinha nas partes de seu Carlos. A manjuba dele já estava a postos. Coitado, também não tinha espaço para sair daquele aperto. Pronto! Esta situação, este acontecimento, foi um sinal verde para mim e para seu Carlos. Todas as vezes em que precisávamos transitar pelo corredor do balcão, nos encostávamos um no outro. Ele me encochava e eu dava uma pressãozinha com as nádegas. As coisas foram ocorrendo desse jeito. Meu pai e meu irmão saíam para trabalhar à 6 horas da manhã. Comecei a abrir o boteco às 6:30. Abria a porta-de-ferro e a fechava logo em seguida e ficava la dentro adiantando a limpeza e organizando os estoques de mercadoria. E pensando na chegada de seu Carlos, para uma brincadeira. Durante o dia, como ele não notou nada, eu falei:

"Seu Carlos, estou abrindo o bar às 6:30 da manhã... abro e fecho a porta e fico adiantando o expediente...!"

"Queres sair mais cedo à noite...?"

"Não... mas, se o senhor quiser vir me ajudar... agradeço...!" Disse isso e sorri para ele. Ele sorriu malandramente.

Seu Carlos era casado, com um casal de filhos adolescentes. Eles estudavam durante a tarde e de vez em quando iam no bar, para ajudar; principalmente à noite, quando o movimento era bem maior aos fins-de-semanas.

No segundo dia em que abri o bar mais cedo, não demorou dez minutos, seu Carlos suspendeu a porta de ferro e entrou no boteco. Não deu nem bom-dia, mas me deu um beijo na boca. Puxou-me pelo braço e fomos para os fundos. Nos agarramos, nos amassamos, passou as mãos pelas minhas coxas - foi até a xana e amassou nas mãos a minha calcinha e minhas partes. Afastei ele um pouquinho, tirei a calcinha e ele abaixou a calça e a cueca. Sentei na beira da mesa de bilhar e ele de joelho acariciou meu clítoris com seu indicador e meteu a língua na cona. Abri mais ainda as pernas e ele se mergulhou c om o rosto na minha conchinha. Me fez ter orgasmo. Deitou-me na mesa, puxou-me um pouco mais para a beirada da mesa e penetrou com o bagre nas minhas entranhas. Aquilo foi uma delicia. Este exercício de manhã é coisa dos deuses. A manjuba entrando e eu sentindo aquela trolha no vai-e-vem do bem-bom. Terminamos, exausto. Desci da mesa e chupei aquele pinguelo e ele endureceu. O tempo tinha passado e não dava para dar mais uma. Bati-lhe uma punheta. Nos aprumamos, ele subiu para sua casa e abri totalmente o bar. O dia correu normalmente, com as nossas encochadas não deixando de acontecer. Mulheres casadas ou não; que trabalham atrás de balcão, seja de bar, restaurante ou padaria, estão sujeitas a isso. Gostem ou não gostem. Quem não gosta e fica por necessidade econômica, se acostuma e por fim participa numa boa, das encochadas. 99% tem relações de pica, boceta, cu e língua com patrões ou colegas de trabalho. Os homens também, casados ou não - que trabalham atrás de balcão encocham e metem a estrovenga em suas funcionárias ou colegas de trabalho.

No dia seguinte, as 6:30 eu estava abrindo e fechando a porta-de-ferro e as 6:35 já estava levando rola do seu Carlos.

Estávamos fazendo o que faltou no dia anterior. Estava dando o meu fio-o-fó. Na mesa do bilhar não dava, era alta. Fomos para o banheiro, debrucei-me sobre o vaso, segurei a tampa com as duas mãos e fiquei com as nádegas voltadas para o Carlos. Ele abriu minhas pernas, separou as duas polpas da bunda e enfiou um dedo no meu cu. Tive um pequeno susto e apertei seu dedo no meu anel. Ele apontou a macaxeira em direção ao orifício, colocou a cabeçorra melada de gel e foi empurrando. Eu fui me rebolando devagar, devagarinho; fui comprimindo e afrouxando aquela piroca, num vai-e-vem gostoso. E de estocada em estocada o pirandelo do Carlos esporrou e eu molhei minha xana com meu orgasmo.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
03/06/2019 07:43:22
os contos são bons, mas os diversos nomes q o autor dá para a pica são muito estranhos e sem sentido. melhor usar apenas, pica, piroca e rola.
01/06/2019 14:46:11
que excitante
16/05/2019 13:28:13
Parabéns garota adorei.
16/05/2019 13:27:37
Muito bom garota adorei.
15/05/2019 20:27:00
Maravilhoso, gatas vamos tc? chama no whats....ONZE.NOVE, SEIS,UM,TRES,OITO, TRÊS,TRES,QUATRO,OITO MARCOS BJS NAS PEPECAS.. podem mandar msgs gatinhas..os amigos que gostam de dividir a mulher pode chamar também....
15/05/2019 12:35:25
Muito bom

Online porn video at mobile phone


vídeo pornô com boneca de silicone de 80 kilos pela XVídeo pornôcomocomia a minha tiasem ela saber- Casa dosContosvídeo de sexo brasileiro novinha gritando ai titio meu c****** pequeno tá doendo entre o funk do Pica devagarinhosogra peituda, esposa de resguardo ( contos ).contos sobrinha menor tio bolinandocontos eiroticos leilapornso bucetao ebelas chupadas emuitas punhetasxvideosmeninascom tesaosonifero no acampamento carroesposas nuasContos d casada com cu arrombad por negroes traficantacanpou com entiada efodeunegao arebentou o cu dessa mulher e ate arebentou todas as pregascomi a puta do meu tio a forca contovidros prno insetos fodendo mae emprensadaazulão transando as baixinhasmeche gostozo estou gozado dentroscooby-doo Mistério S A minha mãe e da filha e mulher pelada salsichafilme de sexo com a minha sogra de remédio por meu sogro dormirmulheres ficatarada narrua salver penes grandcontos eróticos brincando cavalinho com a irmãcontos eroticos anal ensinando a pilotar motogostosa safada trepando dms ta pika dura pornodoidorelatosacanacontos eiroticos leilapornconto encoxada gostosa que leveicontos eroticos malv comendo as interesseiraconto erotico enteada safada assediandoporno com baby boneca ecesto pai velho tarado e pausudomulher a mos tado a buceta de fiu dentaucontos eiroticos leilaporncontos eroticos dando o cuzinhi e a boceta pro molekis da vizinhancaO dinha que comi o cu da minhA mae bebAda contos,sobrinho. segura. a. escada. pra. tia. gostosa. subir. de. saiadei a buceta no rio contos eroticosestudante novinha chegou da escola e foi surpreendida por um tarado q comeu a bucetinha dela virgem fudeu até sangrar e gosou dentro da bucetaXVídeos como fazer alimpesa do cú ante de tranzancontos pastora ajudando membro a gozardeu o cu si arenpendeu pornocontoerotico namorada e mae putas do tio jorgeconto meu marido virou minha putaminha espoza uza caucinha enormisessentona casada carente de rola sozinha no fim de semanay com meus cunhadoscontos axvidio gay flagrei meu amigo,na punheta e me dei mauworttped.diegocampos.8519corno prefere se masturbarcorno covarde chorãobaixando GTA tomando banho no banheiro tocando siririca eu não aguentei e ajudei ela comendo elawww.xvideo entertida com celularxvideod imprecionadapausudis a tocar a punheta a conduzirbaixar vídeo pornô mulher fazendo sinal com a mão presa na pia para o homem comer elaXVídeo as panteras disfarçada de bombeiro transando muitoadolecente fima dado cusinho mais não aguenta apicacontos eiroticos leilapornXVídeos galegona saudadonacontos chupando a buceta da janaraMeu marido viu meu cu todo arrombadosarra no pau de calça jeansfilme porno home reprodutocristiane dado abusrtax videos minha esposa maluquinha com um pauzudo na ninha frentemega trânsito caras dentro da b***** esfoladaxsvidio.com.istoriaContos chupando a buceta da janara casadaxvideo do cunhado pecado a cunhadinha a fosa gozado dretro da boceta delaliberei minha esposa pro cara estourarcontos sexo duas meninas.me xuparam acampamentofilme porno "ligados pelo desejo"puxar o courinho da piça pra mijar x videoviado granfino gai porno xvideo nxxx ciacontos eroticos gaysogroconto erotico comendo cu do burrocontos eróticos eu e meu sobrinhoContos de sequestro e feminizaçãohomens da chapeletao do pênis enchodo arrombando cuconto eróticos marido manda o cara irá cortar a forçaas lesbicas maus fogozar do mesmo mundo fazendo sexy com cachorro ate ficar encantadotorao cabeçudo entrando xnncoroa chora pos uma foda cm garotao xxvideos menorposicao papai mamae ponodoidowww.mulher do grelo grande tocando puetinha ate gozar.comXVídeos HD pornô rola no cú de tinininhoasmeniasnovinhas.nuaContos zoofilia postados em abril d 2017XVídeos pastora mulher numa aposta de sinucapelego pauzudo nuxvidepeliseduziu o amigo novinho e pincelou o cu dele gemeu mtocontos eroticos gay filho pegador de mulher vira gayirma dormondo com o.pau do irmao na bova pornodoidoquando ela me pede .me bate com forca me xinga de puta safada vadia eu urrava de tesao.conto erotico incestoporbodoido papel de parede